Programação

2016/2017
2015
 

PROGRAMAÇÃO “ENCONTRO MESTRE & APREDIZ - TOCANDO FORTÍSSIMO”

2016/2017

 

AGOSTO/2016

“H E R M E T O P A S C O A L I N F I N I T O”, com Hermeto Pascoal e Fábio Pascoal
Data do Concerto: 27/08/2016

HERMETO PASCOAL

Nascido em Olho d´Água e criado em Lagoa da Canoa, na época município de Arapiraca, estado de Alagoas, em 22 de junho de 1936, Hermeto Pascoal é filho de Vergelina Eulália de Oliveira (dona Divina) e Pascoal José da Costa (seu Pascoal). Foi no seu alistamento militar que colocaram o pré nome de seu pai como seu sobrenome.

Os sons da natureza o fascinaram desde pequeno. A partir de um cano de mamona de "gerimum" (abóbora), fazia um pífano e ficava tocando para os passarinhos. Ao ir para a lagoa, passava horas tocando com a água. O que sobrava de material do seu avô ferreiro, ele pendurava num varal e ficava tirando sons. Até o 8 baixos de seu pai, de sete para oito anos, ele resolveu experimentar e não parou mais. Dessa forma, passou a tocar com seu irmão mais velho José Neto, em forrós e festas de casamento, revezando-se com ele no 8 baixos e no pandeiro. 

Mudou-se para Recife em 1950, e foi para a Rádio Tamandaré. De lá, logo foi convidado, com a ajuda do Sivuca (sanfoneiro já de sucesso), para integrar a Rádio Jornal do Commercio, onde José Neto já estava. Formaram o trio "O Mundo Pegando Fogo" que pegou fogo mesmo já na primeira vez em que tocaram, pois, segundo Hermeto, ele e seu irmão estavam apenas começando a tocar sanfona, ou seja, eles só tocavam mesmo 8 baixos até então.

Porém, por não querer tocar pandeiro e sim sanfona, foi mandado para a Rádio Difusora de Caruaru, como refugo, pelo diretor da Rádio Jornal do Commercio, o qual disse-lhe que "não dava para música". Ficou nessa rádio em torno de três anos. Quando Sivuca passou por lá, fez muitos elogios sobre o Hermeto ao diretor dessa rádio, o Luis Torres, e Hermeto, por conta disso, logo voltou para a Rádio Jornal do Commercio, em Pernambuco, ganhando o que havia pedido, a convite da mesma pessoa que o tinha mandado embora. Ali, em 1954, casou-se com Ilza da Silva, com quem viveu 46 anos e teve seis filhos: Jorge, Fabio, Flávia, Fátima, Fabiula e Flávio. Foi nessa época também que descobriu o piano, a partir de um convite do guitarrista Heraldo do Monte, para tocar na Boate Delfim Verde. Dali, foi para João Pessoa, PB, onde ficou quase um ano tocando na Orquestra Tabajara, do maestro Gomes.

Em 1958, mudou-se para o Rio para tocar sanfona no Regional de Pernambuco do Pandeiro (na Rádio Mauá) e, em seguida, piano no conjunto e na boate do violinista Fafá Lemos e, em seguida, no conjunto do Maestro Copinha (flautista e saxofonista), no Hotel Excelsior.
Atraído pelo mercado de trabalho, transferiu-se para São Paulo em 1961, tocando em diversas casas noturnas. Depois de um tempo, formou, juntamente com Papudinho no trompete, Edilson na bateria e Azeitona no baixo, o grupo SOM QUATRO. Foi aí que começou a tocar flauta. Com esse grupo gravou um lp. Em seguida, integrou o SAMBRASA TRIO, com Cleiber no baixo e Airto Moreira na bateria. No disco do Sambrasa Trio, Hermeto já registrou sua música "Coalhada".

Com o florescimento dos programas musicais de TV, criaram o QUARTETO NOVO, em 1966, sendo Hermeto no piano e flauta, Heraldo do Monte na viola e guitarra, Théo de Barros no baixo e violão e Airto Moreira na bateria e percussão. O grupo inovou com sua sonoridade refinada e riqueza harmônica, participando dos melhores festivais de música e programas da TV Record, representando o melhor da nossa música. Nessa época, venceram um dos festivais com "Ponteio", de Edu Lobo. Além disso, Hermeto ganhou várias vezes como arranjador. No ano seguinte gravou o LP QUARTETO NOVO, pela Odeon, onde registrou suas composições O OVO e CANTO GERAL. 

Em 1969, a convite de Flora Purim e Airto Moreira, viajou para os EUA e gravou com eles 2 LPs, atuando como compositor, arranjador e instrumentista. Nessa época, conheceu Miles Davis e gravou com ele duas músicas suas: "Nem Um Talvez" e "Igrejinha". De volta ao Brasil, gravou o lp "A MÚSICA LIVRE DE HERMETO PASCOAL", com seu primeiro grupo, em 1973.

Em 1976, retornou aos EUA, gravou o "SLAVES MASS" e realizou mais alguns trabalhos com Airto e Flora.

Com o nome já reconhecido pelo talento, pela qualidade e por sua criatividade, tornou-se a atração de diversos eventos importantes, como o I Festival Internacional de Jazz, em 1978, em São Paulo. No ano seguinte, participou do Festival de Montreux, na Suíça, quando é editado o álbum duplo HERMETO PASCOAL AO VIVO, e seguiu para Tóquio, onde participou do LIVE UNDER THE SKY. Lançou o CÉREBRO MAGNÉTICO em 1980 e multiplica suas apresentações pela Europa.

Em 1982, lançou, pela gravadora Som da Gente, o lp HERMETO PASCOAL& GRUPO. Em 1984, pelo mesmo selo, gravou o LAGOA DA CANOA, MUNICÍPIO ARAPIRACA, onde registrou pela primeira vez o SOM DA AURA com os locutores esportivos Osmar Santos (Tiruliru) e José

Carlos Araújo (Parou, parou, parou). Esse disco também foi em homenagem à sua cidade, que se elevou, então, à categoria de município e conferiu-lhe o título de Cidadão Honorário. Em 1986, o BRASIL UNIVERSO, também com seu grupo.
Compôs ainda a SINFONIA EM QUADRINHOS, apresentando-se com a Orquestra Jovem de São Paulo. Em seguida, foi para Kopenhagen, onde lançou a SUITE PIXITOTINHA, que foi executada pela Orquestra Sinfônica local, em concerto transmitido, via rádio, para toda a Europa.

Em 1987, lançou mais um LP: o SÓ NÃO TOCA QUEM NÃO QUER, através do qual o músico homenageia jornalistas e radialistas, como reconhecimento pelo seu apoio ao longo da carreira. Em 1989, fez seu primeiro disco de piano solo, o lp duplo POR DIFERENTES CAMINHOS.

Em 1992, já pela Philips, gravou com seu grupo o FESTA DOS DEUSES. Depois do lançamento, viajou à Europa para uma série de concertos na Alemanha, Suíça. Dinamarca, Inglaterra e Portugal.

Em março de 1995, apresentou uma Sinfonia no Parque lúdico do Sesc Itaquera, em SP, utilizando os gigantescos instrumentos musicais do parque. No mesmo ano foi a convite da Unicef para Rosário, Argentina, onde apresentou-se para 2.000 crianças, sendo que seu grupo entrou para tocar dentro da piscina montada no palco a pedido dele.

De 23 de junho de 1996 a 22 de junho de 1997, registrou uma composição por dia, onde quer que estivesse. Essas composições fazem parte do CALENDÁRIO DO SOM, lançado em 1999 pela editora Senac/ SP.

Em 1999 lançou o CD EU E ELES, primeiro disco do selo Mec, no Rio de Janeiro.

Nesse CD produzido por seu filho Fábio Pascoal, Hermeto toca todos os instrumentos.

Em 2003, lançou, com seu grupo, o cd MUNDO VERDE ESPERANÇA, também produzido por Fábio.

Em outubro de 2002, quando foi dar um workshop em Londrina, PR, conheceu a cantora Aline Morena e convidou-a para dar uma canja no dia seguinte com o seu grupo em Maringá, PR. Em seguida ela foi para o Rio com ele e, no final de 2003, Hermeto passou a residir em Curitiba, PR, com ela. Assim, passou a dar-lhe noções de viola caipira, piano e percussão e, em março de 2004 estreou no Sesc Vila Mariana a sua mais nova formação: o duo "CHIMARRÃO COM RAPADURA" (gaúcha com Alagoano), com Aline Morena.

Em abril de 2004, embarcou para Londres para o terceiro concerto com a Big Band local, sendo que o primeiro já havia sido considerado o SHOW DA DÉCADA. Em seguida realizou mais alguns shows solo em Tóquio e Kyoto.

Em 2005 gravou o CD e o DVD "CHIMARRÃO COM RAPADURA", com Aline Morena, além de realizar duas grandes turnês com seu grupo por toda a Europa. O cd e o dvd de Hermeto Pascoal e Aline Morena foram lançados de maneira totalmente independente em 2006.

Neste ano de 2010 está lançando o novo cd com Aline Morena, denominado "Bodas de Latão", em comemoração aos sete anos juntos na vida e na música! Esse cd contem duas faixas multimídias, gravadas às margens do Rio São João, na estrada da Graciosa, em Morretes, Paraná. Além disso, conta com composições novas e antigas do Hermeto, uma composição e algumas novas letras de Aline e uma música de Astor Piazzolla.

Atualmente, Hermeto Pascoal apresenta-se com cinco formações: Hermeto Pascoal e Grupo, Hermeto Pascoal e Aline Morena, Hermeto Pascoal e Big Band e Hermeto Pascoal e Orquestra Sinfônica. Diz ele que, por enquanto, é só!!

FÁBIO PASCOAL

Nascido em Recife (PE) em 1960, filho de Hermeto Pascoal, o percussionista Fábio Pascoal iniciou seus estudos musicais no final dos anos 70, na Escola de Música Villa Lobos, onde cursou Teoria Rítmica com Edgard Nunes Rocca (Bituca), interrompendo-o, mais tarde, para cursar a Faculdade de Ed. Física, sua outra paixão. Mas, falou mais forte sua veia paterna. Interrompeu a faculdade a menos de seis meses para a conclusão do curso a fim de integrar o “Hermeto Pascoal e Grupo”, em 1987, onde permanece até hoje. Participou de gravações em arranjos do Hermeto para Maria Bethânia e songbooks de Gilberto Gil, Dorival Caymmi e Edu Lobo.

Com Hermeto Pascoal e Grupo, além de já ter excursionado por todo o mundo, gravou o cd “ Festa dos Deuses”, em 1992 e “Mundo Verde Esperança”, em 2002, no qual atuou também como produtor. Produziu o cd solo do Hermeto “Eu e Eles”, em 1999. E participa das apresentações de Hermeto Pascoal com Big Band e com Orquestra Sinfônica , hoje desenvolve projetos sociais com crianças, workshops , além de ser coordenador na Areninha Hermeto Pascoal /Bangu aonde dá aula e desenvolve projetos de musica instrumental.

Horário: 20h
Local: Teatro Tapera das Artes
Acesso: GRATUITO
Ingressos: Podem ser adquiridos na bilheteria do Teatro, sendo possível a reserva de assento antecipada através do telefone: (85) 3361-2704 e (85) 98754.8496. Em caso de reserva, a chegada ao local deve ser às 18h30.

 

OUTUBRO/2016

Toninho Ferragutti
Data do Concerto: 29/10/2016


Toninho Ferragutti é músico, compositor, arranjador e possui uma extensa participação em centenas de cds e shows de artistas importantes no Brasil e no exterior, como Gilberto Gil, Maria Bethania, Dori Caymmi, Elba Ramalho, Maria Schneider, Mario Lajinha, Maria João, Chico Cesar, Lenine entre outros.

Tem 10 cds solo e em parceria com 2 indicações ao Grammy Latino (2000 e 2014), indicação aos Premio Tim(2007), Prêmio Governador do Estado de São Paulo(2011), Prêmio da Música Brasileira(2015).

“Ferragutti traz em seu acordeon a síntese de todos os grandes acordeonistas brasileiros e, ao mesmo tempo, é um instrumentista singular, com personalidade e som próprios e únicos, que praticamente reinventam o instrumento. Além disso, é um excelente compositor, à altura do instrumentista.”
Maria Luiza Kfouri – Jornalista e crítica musical

Horário: 19h
Local: Teatro Tapera das Artes
Acesso: GRATUITO
Ingressos: Podem ser adquiridos na bilheteria do Teatro, sendo possível a reserva de assento antecipada através do telefone: (85) 3361-2704 e (85) 98754-8496. Em caso de reserva, a chegada ao local deve ser às 18h30.

 

NOVEMBRO/2016

Quinteto de Cordas Arte do Som
Data do Concerto: 19/11/2016


EMERSON DE BIAGGI

Cursou bacharelado em viola na Universidade de São Paulo, mestrado na Boston University e doutorado na University of California. Integrou a Orquestra Sinfonica do Teatro Municipal de São Paulo e a Orquestra Sinfonica do Estado de São Paulo. Atualmente é professor de viola e música de câmara na Unicamp, integra o grupo Quintal Brasileiro e o Trio Camaleon. Presença frequente nos principais festivais de Mùsica do Brasil, vice-presidente da associação Brasileira de Violistas, dedica-se principalmente a pesquisar e interpretar o repertório brasileiro dos séculos 20 e 21 para viola.


MARTIN TUKSA

Austríaco, graduou-se nas Universidades de Música de Graz e de Viena, em Violino e Regência. Foi premiado no 3º Concurso Internacional Fritz Kreisler-Yehudi Menuhin. Desenvolveu carreira internacional como membro do Arcus Ensemble Wien e do Klangforum Wien. Integrou a Wiener Kammerochester e tocou como spalla na Wiener Kammerphilharmonie.

No cenário da música erudita no Brasil, destacou-se como spalla, solista e regente na frente da Orquestra Sinfônica Brasileira, da Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo e da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro em Brasília, entre outros. É membro da Camerata Aberta e do Quinteto Pierrot.

Foi professor de violino nas Universidades de Música de Graz e Viena, no Conservatório de Viena e na EMESP São Paulo. Deu master-class no Festival de Inverno de Campos de Jordão e é convidado regularmente como docente em diversos festivais.


ALESSANDRO BORGOMANERO

Nascido em Roma, formou-se com o título de Mestre em 1992, na Universidade de Música Mozarteum, de Salzburg, na classe do violinista Ruggiero Ricci. Continuou seus estudos com renomados violinistas como Boris Belkin, Salvatore Accardo e Rodolfo Bonucci.

Apresentou-se como solista frente a várias orquestras tais como, Orquestra de Câmara de Budapeste, Salzburg Chamber Soloists, Philadelphia Virtuosi, London Mozart Players, Virtuosos de Salzburgo, Orquestra de Câmara de Berlim, Orquestra Sinfonietta Salzburg, Bachiana Filarmônica, Sinfônica de Vaasa (Finlândia), Sinfônica de Guayaquil, Sinfônica Nacional do Ecuador, Orquestra L´Armonica Temperanza di Roma, Camerata Filarmonica Siciliana, Tblisi State Chamber Orchestra (Georgia), e com a maioria das orquestras sinfônicas do Brasil. Em 2002 realizou a primeira execução brasileira do Concerto nº 2 para violino de Schostakovich, em Curitiba. No ano de 2005 apresentou-se como solista com a Orquestra de Câmera do Kremlin (Rússia), em dois concertos no auditório do Kremlin em Moscou.

Em 2009 fez a estreia do concerto para violino de Jaime Zenamon com a Orquestra Sinfônica do Paraná e no ano de 2015 foi convidado para tocar a estréia mundial do concerto para violino, saxophone e orquestra de Helene Rasquier, no Carnegie Hall de Nova Iorque com a New York Sinfonietta.

Em duo com violino e piano, e como integrante do Quarteto Mozarteum, de 1994 até 2000, obteve elogios do público e da crítica especializada em tournées por diferentes países como Áustria, Escócia, Inglaterra, França, Holanda, Portugal, Alemanha, Itália, Japão, Rússia, Austrália, Estados Unidos, Canadá, Peru, Ecuador, Argentina, e Uruguai. Apresentou-se em salas de concerto importantes como no Grosses Festspielhaus em Salzburg, Musikverein de Viena, Palao de la Música de Barcelona, no Tivoli em Copenhague, Alte Oper de Frankfurt, Bunkakaikan e Sala Pablo Casals em Tóquio, no Teatro Olímpico de Roma, no Teatro Colón em Buenos Aires e na Sala São Paulo. Gravou vários programas para a rádio e televisão, como a BBC de Edimburgo, NHK de Tóquio, ORF de Salzburg e para a RAI Italiana.

Gravou vários CDs pelos selos Kreuzberg Records (Alemanha), Nami Records (Japão) e Classic Sound (Áustria). A sua discografia inclui dois CDs gravados com o Mozarteum Quartett, com quartetos e quintetos de Mozart com o clarinetista Wenzel Fuchs da Filarmônica de Berlim, um CD de violino e violão com um arranjo dos Quadros de uma Exposição de Mussorgsky e outro com peças virtuosísticas para violino e piano. Em 2011 gravou um CD com obras inéditas de compositores brasileiros para violino e orquestra de cordas como solista e diretor artístico da Camerata Filarmônica de Goiás.

Vive em Goiânia desde 1999 onde é professor de violino na Universidade Federal de Goiás. De 2003 a 2007 foi o regente titular da Orquestra de Câmara Goyazes, liderando a orquestra em mais de 90 concertos por vários estados brasileiros. Desde 2012 está à frente da Orquestra Filarmônica de Goiás. Como reconhecimento pelas suas realizações na área da música em Goiás, recebeu em 2006, o título de Comendador da Ordem do Mérito Anhanguera, outorgado pelo Governo do Estado.

Horário: 19h
Local: Teatro Tapera das Artes
Acesso: GRATUITO
Ingressos: Podem ser adquiridos na bilheteria do Teatro, sendo possível a reserva de assento antecipada através do telefone: (85) 3361-2704 e (85) 98754-8496. Em caso de reserva, a chegada ao local deve ser às 18h30.

 

MARÇO/2017

DUO Siqueira Lima
Data do Concerto: 25/03/2017

Ganhador do Prêmio Profissionais da Música 2015 no Brasil e do International Press Award 2014 nos Estados Unidos, o Duo Siqueira Lima é um dos grupos de música de câmara de maior prestígio da atualidade. Seu trabalho apresenta músicas do repertório clássico ao popular da América Latina.

Cecilia Siqueira e Fernando de Lima são reconhecidos mundialmente pelo virtuosismo técnico, carisma, perfeito entrosamento e por seus ousados e originais arranjos para dois violões.

Desde 2003, já percorreram o mundo realizando concertos nas principais capitais europeias, muitas cidades na América do Norte, bem como passagens para a África e Rússia. São sempre bem recebidos nos principais centros musicais na América Latina e nas salas de grande prestígio como em Lincoln Center (Nova Iorque), New World Center (Miami), Concertgebouw (Amsterdam), entre outros.

“Finamente detalhado como um ovo Fabergé”
The New York Times - 22 de janeiro de 2014

Horário: 19h
Local: Teatro Tapera das Artes
Acesso: GRATUITO
Ingressos: Podem ser adquiridos na bilheteria do Teatro, sendo possível a reserva de assento antecipada através do telefone: (85) 3361-2704 e (85) 98754-8496. Em caso de reserva, a chegada ao local deve ser às 18h30.



ABRIL/2017

Quinteto de Metais da UFBA
Data do Concerto: 29/04/2017

Formado pelos professores doutores Heinz Schwebel (trompete), Joatan Nascimento (trompete), Lélio Alves (trombone), Celso Benedito (trompa) e o mestre Renato Pinto (tuba), o grupo tem realizado importantes concertos nas diversas regiões do Brasil. Dentre os eventos podemos citar: Fórum de Música, Educação, Gestão e Cidadania na cidade de Vassouras - RJ (2012 e 2013), Encontro de Metais da Universidade do Estado do Amazonas (2013 e 2014), Fórum de Bandas Filarmônicas da Universidade Federal da Bahia no ano de 2014, III Fórum de Instrumentos de Metal da Universidade Federal de Goiás(2015), I Encontro Pernambucano de Metais (2015), além de turnês como a realizada pelo Nordeste em 2015.

Nestas jornadas musicais os componentes também se dedicam em ministrar master class de performance, buscando compartilhar conhecimentos e experiências de anos de ensino acadêmico. O Quinteto de Metais da Universidade Federal da Bahia tem como proposta divulgar a música composta ou adaptada para esta formação, ampliando o cenário da música de câmara no Brasil através da criação de platéia e da qualificação de intérpretes. Atualmente o grupo se prepara para a gravação do seu primeiro CD.

Heinz Karl Schwebel (TROMPETE) - É o atual Diretor da Escola de Música da UFBA e integra seu corpo docente desde 2001. Em 1996 concluiu o Mestrado sendo laureado com Honras Acadêmicas e Distinção em Performance, premiação máxima daquela instituição. Durante seus estudos em Boston, foi vencedor do “Concerto Competition” e do “Honors Brass Competition”. Em 1997 e 1998, integrou os quadros da Jerusalem International Symphony Orchestra em Israel, onde atuou como primeiro trompete sob a regência de Zubin Metha. Mais uma vez como bolsista da CAPES, voltou aos Estados Unidos em 1998 para realizar o Doutorado, tendo obtido o título de Doctor of Musical Arts na Catholic University of America. Atua como primeiro trompete da Orquestra Sinfônica da Bahia.

Joatan Nascimento (TROMPETE) - Natural de Maceio/AL, Joatan Nascimento é Doutor em trompete pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), por onde também se graduou e onde hoje leciona as cadeiras de Trompete, Percepção Musical, Prática de Conjunto, Harmonia e Improvisação. Também integrado ao movimento de música instrumental de Salvador/BA, tem se destacado no repertório jazzístico, assim como nas práticas que envolvem a música popular brasileira. Gravou um CD exclusivamente composto de choros escritos para o trompete, chamada EU CHORO ASSIM! É membro do Quinteto de Metais da UFBa, da Orquestra Sinfônica da Bahia (desde 1989), da Orkestra Rumpilezz e do Trio + 1.

Celso Benedito (TROMPA) - Bacharel em Música pela Faculdade Mozarteum de São Paulo (1999), mestrado em Musicologia pela Universidade de São Paulo (2005) e doutorado em Música pela Universidade Federal da Bahia (2010). Atualmente é professor adjunto de trompa da Universidade Federal da Bahia, atualmente principalmente nos seguintes temas: instrumentista, professor, educação musical, filarmônica prática (execução) e prática de conjunto.

Lélio Alves (TROMBONE) - Professor adjunto da Universidade Federal da Bahia desde 2008 e autor do método Trombone Fácil. Bacharel em trombone (UFRJ) e doutor em música pela UNIRIO. Atuou como primeiro trombone da Orquestra Sinfônica da Bahia por vários anos. É fundador-regente da Banda de Concerto da FAETEC-Marechal Hermes. Tem ministrado diversos cursos sobre trombone e o ensino em Bandas Escolares por todo o Brasil. Possui importante pesquisa sobre o repertório solo brasileiro para trombone.

Renato Costa Pinto (TUBA) - Principal Tubista da Orquestra Sinfônica da Bahia, é natural de São Gonçalo (RJ). Teve uma formação iniciada em banda de música, fruto de uma família de músicos Cristãos. Estudou tuba com os professores Zênio de Alencar e Waldemar Moura. Formou-se bacharel e mestre pela UFBA em 2013, defendendo o tema: “A Tuba na música brasileira: Catalogação de obras e Sugestões Interpretativas da Fantasia Sul América para Tuba e Orquestra de Cl.

Horário: 19h
Local: Teatro Tapera das Artes
Acesso: GRATUITO
Ingressos: Podem ser adquiridos na bilheteria do Teatro, sendo possível a reserva de assento antecipada através do telefone: (85) 3361-2704 e (85) 98754-8496. Em caso de reserva, a chegada ao local deve ser às 18h30.

 

MAIO/2017

João Carlos Martins 
Data do Concerto: 27/05/2017

João Carlos Martins (1940) é um pianista e também maestro brasileiro, considerado um dos maiores interpretes de Bach.

João Carlos Martins (1940) nasceu em São Paulo, no dia 25 de junho de 1940. Filho do pianista José Eduardo Martins, com oito anos começou a estudar piano no Liceu Pasteur. Na adolescência, já tinha fama mundial como um inventivo intérprete de Bach. Com 21 anos, fez sua estreia no Carnegie Hall, com lotação esgotada. Tocou com grandes orquestras americanas, gravou a obra completa de Bach, para piano.

Em 1966, jogando futebol no Central Park, em Nova York, caiu sobre uma pedra e machucou o nervo ulnar, na altura do cotovelo direito, provocando atrofia em três dedos. Em 1970, com o problema agravado, abandonou o piano. Voltou para o Brasil e tornou-se empresário esportivo. Patrocinou a reconquista do título mundial de Eder Jofre. Envolveu-se em um escândalo na arrecadação da campanha de Paulo Maluf.

Oito anos depois, com muita fisioterapia, estava de volta ao piano. Em 1985, outro problema na mão direita o fez parar mais uma vez, só retornando aos palcos em 1993. Dois anos mais tarde, num assalto em Sófia, na Bulgária, onde gravava a obra de Bach, recebeu uma pancada com uma barra de ferro na cabeça. A lesão cerebral afetou a outra mão. Com operações e fisioterapia, tocou até 2002, quando, com dores insuportáveis, interrompeu a carreira.

Outro sofrimento surgiu com um tumor na mão esquerda, seguido da doença de Dupuytren, contratura na qual os dedos não ficam plenamente estendidos e tendem a se flexionar em direção à palma da mão, que impossibilitava tocar profissionalmente. Depois de 20 cirurgias para tentar recuperar o movimento das mãos e seis interrupções na carreira, problemas neurológicos o obrigaram a abandonar o piano e se dedicar à regência.

Como as complicações neurológicas limitavam o movimento dos braços e impediam-no de virar uma página de partitura e segurar a batuta, iniciou seus estudos de regência e virou o jogo, passou a reger com gestos elétricos, não usa batuta e decora as partituras. Apresentou-se em Londres, Paris e Bruxelas como regente convidado, realizando aplaudidas apresentações.

Na carreira de maestro, ele criou uma orquestra de profissionais e outra de jovens talentos, alguns dos quais recrutados na periferia de São Paulo. Mais tarde, fundiu-se na atual Filarmônica Bachiana SESI-SP. Ao conciliar a regência com o trabalho social, ensinando música a jovens, o maestro resgatou a si mesmo. Em 2007 e 2008, se apresentou no Carnegie Hall, com sua Bachiana.

No dia 19 de setembro de 2010, retornou a Nova York, na sua mais nova encarnação, a de maestro, regendo a Bachiana Filarmônica, no Lincoln Center, com a participação do pianista Artur Moreira Lima. A crítica do New York Time elogiou a orquestra e atribuiu-lhe um adjetivo que o envaideceu: “o indomável”.

Em 2012, João Carlos Martins se submeteu a uma cirurgia no cérebro para a implantação de eletrodos, com um estimulante eletrônico no peito, com a função de recuperar os movimentos da mão esquerda. Em 10 de junho de 2014, recebeu o título de Comendador da Ordem do Infante D. Henrique, em Portugal.

Horário: 19h
Local: Teatro Tapera das Artes
Acesso: GRATUITO
Ingressos: Podem ser adquiridos na bilheteria do Teatro, sendo possível a reserva de assento antecipada através do telefone: (85) 3361-2704 e (85) 98754-8496. Em caso de reserva, a chegada ao local deve ser às 18h30.

 

AGOSTO/2017

Igor de Bruyn Ferraz
Data do Concerto: 26/08/2017

Formado em Comunicação, com habilitação para Jornalismo (UMESP, 1998). Pós-graduado no curso de Capacitação Docente em Música Brasileira (Universidade Anhembi-Morumbi), em 2007, finalizado com a monografia “Quem tem Medo da Música Brasileira? – A Evolução da Sociedade Urbana e seu distanciamento da Cultura Popular”.

No ano de 2008 foi aluno especial do curso “Estética Musical do Século XX”, no Instituto de Artes da Universidade Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP), ministrado no setor de pós-graduação pela Profa Dra Lia Vera Tomas. Em maio de 2009 frequentou o curso sobre “Método Kodály”, promovido pela ONG Brazilian Heart, no Teatro Lauro Gomes, em S. B. do Campo, ministrado por Ian Guest.

Entre 2008 e 2009 foi aluno do curso História da Cultura e das Artes Africana e Afro-Brasileira, ministrado pelo Prof Dr Salomão “Salloma” Jovino e Prof Dr Acácio Almeida, e do curso Iniciação às Musicalidades Africana e Afro-Brasileira, ministrado pelo professor Paulo Dias, ambos na Associação Cultural Cachuêra.

Estudou na FASCS (Fundação das Artes de São Caetano do Sul), de 1982 a 1987; guitarra com Carlos Nascimento “Tomati” (1996 – 1998), improvisação com o saxofonista Wilson Teixeira (1999 – 2001), e violão (Março a Junho de 2009) com Marcos Murilo de Almeida Passos.

Participou, em 1997, do Festival de Inverno de Campos de Jordão como aluno bolsista na Big Band de alunos, regida por Roberto Sion e Phil Wilson (Berklee School of Music). Já tocou com Dave Maclean, O Terço, com o grupo de choro Chorando Callado, é violonista do Quinteto Solto e guitarrista do Quarteto de Guitarras Kroma, com dois cds lançados (“Kroma Electric Guitar Quartet”, Abril Music, 2001, com participações de Edgard Scandurra e Nasi; e “Desconstruindo”, APG Music, 2013, com participações de Heraldo do Monte e Vera Figueiredo).

Trabalhou como violonista e co-diretor musical do espetáculo “Amor nos tempos de Baden Powell e Vinícius de Moraes, montado pela Cia Jazzcira de Repertório (2010).

Em 2012 foi professor da oficina “História da Música: Quem tem medo da música popular brasileira?”, promovida pela prefeitura municipal de S. B. do Campo, realizada no Teatro Martins Pena (S. B. do Campo – SP).

Em 2001 realizou uma apresentação como guitarrista da banda Ultraje à Rigor, substituindo Heraldo Paarmann.

No ano de 2000 gravou violão na faixa “Qualquer Norte”, do cd "Solunar" (Lua Discos), do compositor Beto Ruschel.

Durante os anos de 2000 e 2004 foi transcritor da Revista Cover Guitarra (2000 a 2004), e Guitar Class (julho e agosto de 2004). Como transcritor também fez a partitura da música "Bright and Sweet", de autoria do guitarrista Carlos "Tomati" Nascimento, contida no encarte de seu cd "Lord's Children" (Independente).

É professor de violão do programa Fábricas de Cultura (Unidade Sapopemba) e professor de guitarra pelo GURI Santa Marcelina.

Horário: 19h
Local: Teatro Tapera das Artes
Acesso: GRATUITO
Ingressos: Podem ser adquiridos na bilheteria do Teatro, sendo possível a reserva de assento antecipada através do telefone: (85) 3361-2704 e (85) 98754.8496. Em caso de reserva, a chegada ao local deve ser às 18h30.

 

PROGRAMAÇÃO “ENCONTRO MESTRE & APRENDIZ - TEMPERANDO CRAVOS”

 

2015

 

FEVEREIRO

A Música Camerística de Edmundo Villani-Côrtes
Data do Concerto: 28 de Fevereiro



Natural de Juiz de Fora, Minas Gerais, Edmundo Villani-Côrtes nasceu em 08 de Novembro de 1930 e começou sua experiência musical observando seu irmão tocar violão. Suas principais influências, a princípio, vieram do rádio. É Mestre em Composição pela Escola de Música da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) e Doutor em Composição pela Universidade Estadual Paulista (UNESP), onde foi professor de composição. Consagrado como um dos compositores eruditos brasileiros mais tocados, possui aproximadamente 300 composições, mas pelo grande número de versões e arranjos este número chega a mais de 700 obras que podem ser encontradas em mais de 70 CDs gravados no Brasil, Estados Unidos, Inglaterra, Itália, Alemanha e França.

Mais de uma dezena de teses de Mestrado e Doutorado sobre as obras de Villani-Côrtes também podem ser encontradas em Universidades Brasileiras e Norte Americanas. Como pianista, participou de shows internacionais, acompanhando cantores como Maysa e Altemar Dutra. Maestro premiado, em 2011 recebeu o “Troféu Guarany” pela excepcional carreira de compositor, no “Prêmio Carlos Gomes”. No mesmo ano, recebeu o “Grande Prêmio da Crítica” depois de ser laureada pela sétima vez pela APCA. A convite da Universidade de New York, em 2013, passou 15 dias apresentando suas obras, participando de Master Classes e Palestras em Abu Dabi.

Para o concerto no “Encontro de Mestres e Aprendizes - Temperando Cravos”, realizado pela Imaginário, traz o programa "A Música Camerística de Edmundo Villani-Côrtes” que será apresentado no dia 28 de Fevereiro, no Teatro Tapera das Artes, depois de uma semana de master classes com os alunos do Projeto Livres Toques e Orquestra Bachiana Jovem de Aquiraz, da ONG Tapera das Artes. A apresentação contará com a participação do Maestro e diretor artístico da instituição, Ênio Antunes.

Horário: 19h
Local: Teatro Tapera das Artes
Acesso: GRATUITO
Ingressos: Podem ser adquiridos na bilheteria do Teatro, sendo possível a reserva de assento antecipada através do telefone: (85) 3361-2704 e (85) 8838-6444. Em caso de reserva, a chegada no local deve ser às 18:30h.

 

MARÇO

Quaternaglia Guitar Quartet
Data do concerto: 28 de Março


O Quaternaglia Guitar Quartet (QGQ) tem sido aclamado como um dos mais importantes quartetos de violões da atualidade, tanto pelo alto nível de seu trabalho camerístico como por sua importante contribuição para a ampliação do repertório. Em mais de vinte anos de atuação, o grupo - formado pelos violonistas Chrystian Dozza, Fabio Ramazzina, Thiago Abdalla e Sidney Molina - vem estabelecendo um cânone de obras originais e arranjos audaciosos, o que inclui a colaboração com compositores como Leo Brouwer, Almeida Prado, Egberto Gismonti e Paulo Bellinati.

Com uma vasta trajetória internacional, a estreia no exterior foi no "I Festival Abel Carlevaro" (Uruguai, 1996), desde então o grupo tem tocado em cidades como Nova York, Los Angeles, Chicago, Washington D.C., Dallas, Lisboa, Porto, Coimbra, Buenos Aires, Caracas, Havana e nacionalmente em mais de quinze estados brasileiros. Na lista de premiações, contam com o "Prêmio Carlos Gomes" como "melhor grupo de câmara do ano" conquistado em 1996.

Cabe destacar a atuação do Quaternaglia como solista convidado de orquestras no Brasil, Cuba e Estados Unidos. Além do Concierto Andaluz, de Joaquín Rodrigo, solado pelo quarteto com a Orquestra Sinfônica Brasileira (no Theatro Municipal do Rio de Janeiro) e com a Orquestra Petrobrás Sinfônica, cabe mencionar O Percurso das Almas Cansadas e Forrobodó, concertos escritos pelos compositores Sérgio Molina e Egberto Gismonti especialmente para uma apresentação com orquestra do Quaternaglia no "I Festival Internacional de Violão de Round Top" (EUA, 2005).

Os músicos do Quaternaglia utilizam três violões de seis cordas e um violão de sete cordas especialmente construídos pelo luthier brasileiro Sérgio Abreu. Para o concerto em Aquiraz (CE) o grupo prepara um repertório inédito totalmente voltado à música brasileira, que antecipa o lançamento de um novo CD.

Local: Teatro Tapera das Artes
Horário: 19h
GRATUITO
Ingressos: Podem ser adquiridos na bilheteria do Teatro, sendo possível a reserva de assento antecipada através do telefone: (85) 3361-2704 e (85) 8838-6444. Em caso de reserva, a chegada no local deve ser às 18:30h.

 

MAIO

Mário Zaccaro
Data do concerto: 02 de Maio


Considerado um dos maiores regentes corais e sinfônicos em atividade na cena musical brasileira, o regente, compositor, arranjador e pianista Mário Zaccaro destaca-se pela sua versatilidade tanto na área popular como na erudita, estando à frente de inúmeros trabalhos em várias áreas e estilos musicais. Muito jovem, em 1973, ganhou o Prêmio Governador do Estado. Estudou regência com Eleazar de Carvalho e Robert Shaw e orquestração com Cyro Pereira e Luis Arruda Paes.

É professor de Teoria, Harmonia e Percepção Musical, tendo lecionado durante anos na Escola Municipal de Música. Desde 2005 desenvolve um belíssimo trabalho com Coral do Club Athlético Paulistano e também, desde 2010, com o Coral Juvenil do Colégio Etapa. Como demonstração de seu ecletismo musical, destacam-se trabalhos de trilhas sonoras, como o longa-metragem Asa Branca, um sonho brasileiro, de Djalma Limongi Batista e o desenho animado O Boto, de Humberto Avelar. Como pianista, participou da primeira audição brasileira de Natura, Festa do Interior, de Egberto Gismonti, na XIII Semana Guiomar Novaes em São João da Boa Vista e, com Maria Jose de Carvalho, apresentou o show Nights and Delights of Cabaret, no Brasil, Estados Unidos e América Latina. Fez a direção musical de Brasileiro, profissão esperança, com Bibi Ferreira. Criou o Grupo Instrumental Metalmorfose. Preparou o Coral Paradiso, que atuou sob a regência de Ennio Morriconi, no Teatro Alfa em São Paulo.

Mário Zaccaro tem sido convidado para reger várias orquestras brasileiras como Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo, Orquestra Experimental de Repertório, Orquestra Sinfônica de Campinas, Orquestra Sinfônica do Paraná. À frente da Orquestra Jazz Sinfônica, regeu artistas renomados como Arturo Sandoval, Zizi Possi, Sivuca, Wagner Tiso, Amilton Godoy, Gilson Peranzzeta, Ivan Lins, Leila Pinheiro, Oswaldinho do Acordeon entre outros.

Local: Teatro Tapera das Artes
Acesso: GRATUITO
Ingressos: Podem ser adquiridos na bilheteria do Teatro, sendo possível a reserva de assento antecipada através do telefone: (85) 3361-2704 e (85) 8838-6444. Em caso de reserva, a chegada no local deve ser às 18:30h.


Raïff Dantas Barreto
Data do concerto: 23 de Maio


Raïff Dantas Barreto, violoncelista paraibano começou seus estudos de violoncelo com Nelson Campos na Paraíba. Posteriormente, foi aluno de Enrico Contini no Conservátório Arrigo Boito, em Parma-Itália. Ainda na Itália, fez curso de música de câmara com Dario De Rosa, pianista do lendário “Trio di Trieste” e com o “Nuovo Quartetto Italiano”. Raïff toca com Álvaro Siviero, Davi Sartori, Marcos Aragoni, toca no QuartaD e também com o soprano Rose de Souza. Gravou dois CDs pelo selo YB, Duo Quanta (2001) e Quarteto Camargo Guarnieri (2003). Em 2009 lançou os CDs “José Guerra Vicente” juntamente com o pianista Marcos Aragoni, o soprano Rose de Souza e a violinista Ludmila Vinecka pelo selo GLB e “Francisco Mignone-Valsas para cello solo”.

Sua trajetória como solista o levou à frente de diversas orquestras como Municipal de São Paulo, Nacional (Niterói), Sinfônica da Paraíba, Sinfônica de Minas Gerais, Camerata de Curitiba, Camerata Fukuda, Sinfônica da Bahia, Sinfônica de Santo André (São Paulo), Experimental de Repertório, Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Cláudio Santoro (Brasília), dentre outras. Entre os maestros com os quais já trabalhou como solista estão: Eleazar de Carvalho, Leon Spierer, Ira Levin, Flávio Florence, Mateus Araújo, Marcelo Ramos, Lygia Amadio, Celso Antunes, Jesus Medina e Carlos Moreno.

Local: Teatro Tapera das Artes
Horário: 19h
GRATUITO
Ingressos: Podem ser adquiridos na bilheteria do Teatro, sendo possível a reserva de assento antecipada através do telefone: (85) 3361-2704 e (85) 8838-6444. Em caso de reserva, a chegada no local deve ser às 18:30h.

 

JULHO

Orquestra Antunes Câmara
Data do concerto: 18 de Julho


Idealizada pelo professor e maestro Ênio Antunes, com o objetivo de formar e preparar estudantes de música para vivenciar o despertar cultural e descobrir o prazer em fazer e ouvir música, nas diversas formas de se relacionar, se comunicar e acessar valores culturais proporcionando aos estudantes de instrumento de cordas, o aprimoramento técnico do instrumento, a busca de alta qualidade no entendimento e desempenho de obras contidas no repertório de música de concerto para orquestra de cordas.

A orquestra é uma célula laboratorial do processo de pesquisa do projeto pedagógico “Arte do Som - Escola e Estilos” e das práticas coletivas nas séries artístico-musical e na ação social-humanitária. Está integrada ao Projeto Cultural Concordância, consonâncias e dissonâncias da cultura brasileira através da música, para revelar um conjunto de obras para orquestra de cordas, de sete compositores brasileiros, totalizando 28 compositores em 4 anos de pesquisa e ação artística.

Formada por alunos na faixa etária entre 12 e 21 anos, Os jovens músicos da Orquestra Antunes Câmara, convivem com notáveis professores e artistas conceituados em nível nacional e internacional. Criada em 17 de dezembro de 2002. Estuda e revela o material musical produzido para esta formação desde o período barroco até os dias de hoje em sintonia com a música colonial brasileira até as obras compostas contemporaneamente. Desde sua existência, mais de 300 concertos foram realizados.

Interagiu artisticamente com vários artistas em importantes festivais de música no Brasil, e primeiras audições de compositores brasileiros e de outros países. A exemplo, Apparition para flauta e orquestra de cordas da compositora americana Nicole Chamberlain, dedicado a James Strauss; Abertura para orquestra de cordas e concerto para violino e orquestra de câmara de Edmundo Villani-Côrtes; Elegia e Desanoitecendo de Sergio Molina se destacam como uma ação relevante da música ao vivo de concerto para orquestra de cordas no Brasil.

Integrantes:
Ênio Antunes – Direção Artística e Musical; Idealização e Coordenação Pedagógica; Professor de violino, teoria musical e práticas coletivas.
Pablo Morais – Regente, violoncelista e orientador musical
Rodrigo Felicíssimo – Regente, Orientador de pesquisa musical
Rafael Amadeu Luperi – Regente, Orientador de pesquisa musical
Mariana Ribeiro – Violinista e orientadora musical
Jonathan Cardoso – Violinista e orientador musical
Giselle Mendonça – Violista e orientadora musical
Diego Mesquita – Violoncelista e orientador musical
Haran Magalhães – Contrabaixista e orientador musical

Local: Teatro Tapera das Artes
Horário: 19h
GRATUITO
Ingressos: Podem ser adquiridos na bilheteria do Teatro, sendo possível a reserva de assento antecipada através do telefone: (85) 3361-2704 e (85) 8838-6444. Em caso de reserva, a chegada no local deve ser às 18:30h.

 

OUTUBRO

Jeziel Pousa Corrêa de Paiva
Data: 03 de outubro

Jeziel Pousa Corrêa de Paiva é Maestro Titular da Orquestra Homero Barreto de Ribeirão Preto e da Orquestra Maestro Saulo Schneck de São José do Rio Preto – SP. É Coordenador Geral do Projeto Kabuki realizado pela Associação Cultural Quarteto de Cordas de Ribeirão Preto. Foi membro da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional de Brasília entre 1980 a 1982; da Orquestra Sinfônica da Bahia de 1982 a 1993 e da Orquestra Sinfônica de Ribeirão Preto 1993 à 2005. Em 2003 foi homenageado pela Câmara Municipal de Ribeirão Preto com o diploma de “Honra ao Mérito Cultural”.

Regeu a Orquestra do VI Curso Internacional de Verão, dirigindo a Sinfonia n. 1 em Dó Maior de Beethoven. Foi professor de algumas escolas de música como o Conservatório Carlos Gomes, de Ribeirão Preto. Também atuou como coordenador e diretor artístico de festivais. É membro fundador do Quarteto de Cordas de Ribeirão Preto.

O Educador Musical acredita no potencial da música para desenvolvimento de cidadãos plenos, solidários, críticos: “Eu defendo o ensino universal da música como forma de construção da cidadania e do caráter do indivíduo, pleno de suas capacidades. Apresentando às pessoas todo o repertório de possibilidades que a linguagem musical é capaz de proporcionar, certamente, construiremos um mundo melhor com essa poderosa ferramenta chamada música.”

Local: Teatro Tapera das Artes
Horário: 19h
GRATUITO
Ingressos: Podem ser adquiridos na bilheteria do Teatro, sendo possível a reserva de assento antecipada através do telefone: (85) 3361-2704 e (85) 8838-6444. Em caso de reserva, a chegada no local deve ser às 18:30h.

 

Emerson de Biaggi
Data do concerto: 31 de outubro


Cursou o Bacharelado em Música no Departamento de Música da ECA-USP, onde foi aluno dos professores Perez Dworecki e Horácio Shaeffer. Integrou a Orquestra Sinfônica do Teatro Municipal de São Paulo entre 1988 e 1990. Realizou o curso de Mestrado na Boston University (1992) estudando com Raphael Hillyer e Steven Ansell. Em seguida cursou o Doutorado na Universidade da California, sob orientação de Heiichiro Ohyama, Donald McInnes e Ronald Copes.

Com uma vastíssima trajetória, atualmente é chefe do naipe de violas da Orquestra municipal de Jundiaí, integra o trio de cordas Camaleon e o quinteto de cordas Quintal Brasileiro . Tem participado como professor de viola e música de câmara nas Oficinas de Música de Curitiba e nos festivais de Montenegro, Scala - Juiz de Fora, São João del Rey, Unisinos, Rio de Janeiro, Fortaleza, Brasília, Ouro Branco, Femusc, Vale Vêneto, Florianópolis, Bragança e Campos do Jordão. Como solista, desenvolve trabalho de valorização do repertório brasileiro contemporâneo, tendo se apresentado frente às seguintes orquestras: Orquestra de Camara do Teatro São Pedro de Porto Alegre, Sinfônica da Unicamp, Sinfônica Jovem do Estado de São Paulo, Sinfônica Jovem da Paraíba, Antunes Câmara, Experimental de Repertório, Câmara de Curitiba, Sinfônica de Santo André, Sinfônica de Santos, Camerata Florianópolis, Sinfônica Paulista, Sinfônica Nacional, Sinfônica de Sorocaba, Sinfônica de Campinas e Orquestra Municipal de Jundiai.

Local: Teatro Tapera das Artes
Horário: 19h
GRATUITO
Ingressos: Podem ser adquiridos na bilheteria do Teatro, sendo possível a reserva de assento antecipada através do telefone: (85) 3361-2704 e (85) 8838-6444. Em caso de reserva, a chegada no local deve ser às 18:30h.

 

 

Newsletter

Cadastre-se em nossa Newsletter e receba em primeira mão todas as novidades da Tapera das Artes em primeira mão comodamente no seu e-mail.

Endereço Sede Tapera das Artes e Escola de Musica

Rua Raimundo Lopes de Queiroz, S/N | Aquiraz - CE
Email: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Endereço Centro Cultural / Teatro / Escola de Audiovisual / Luthieria

Rua Antônio Gomes dos Santos, S/N | Aquiraz - CE
CEP: 61700-000
Fone / Fax: +55 (085) 3361.2704

 
Copyright© Tapera das Artes 2015. Todos os Direitos Reservados.